segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Garçom de Churrascaria


Ao invés do Serviço Militar Obrigatório todo homem deveria ser obrigado a passar uns meses trabalhando como garçom de churrascaria. Definitivamente é a melhor maneira para se aprender a lidar com a rejeição.

Porém não é segurando a picanha ou a alcatra que se aprende isso efetivamente. Para isso é preciso estar na pele do cara que serve o macarrão alho e óleo. Esse cara sim sabe muito bem o que é ouvir um não e seguir em frente.

Com uma baixela na mão, ele vai oferecendo a cada um dos clientes o tal macarrão alho e óleo. É um trabalho insistente e insano. Todos querem segurar o espeto da picanha e escutar sonoros e efusivos "sim" quando a carne é oferecida. O macarrão alho e óleo é para poucos. Afinal quem em sã consciência, tendo à sua disposição picanhas, lombinhos com bacon, carneiros, corações de frango, alcatra na mostarda e outras delícias vai dar bola pro cara que serve macarrão alho e óleo?

Geralmente os caras que tem essa tarefa são discretos e um tanto quanto tímidos. A vida de churrascaria já calejou seus sentimentos e a desaprovação é algo comum para ele. Ele sabe que não é sendo invasivo que a pessoa dirá sim.

Na última vez que fui na churrascaria disse uns quatro "não" pra esse cara do alho e óleo. Contando que no lugar cabem por baixo umas 250 pessoas, meus cálculos dizem que só no almoço esse garçom recebeu uns 1000 nãos. Se somarmos isso com o jantar e multiplicar pela quantidade de dias que ele trabalha por mês, chegamos numa média de 60 mil não recebidos por mês. Tem o não falado, tem o não só com a cabeça, com o dedinho, com o garfo ou o não tácito, aquele onde apenas se ignora o garçom.

Mas mesmo assim o garçom alho e óleo segue impávido. Afinal o seu chefe não é idiota e sabe que naquela multidão na churrascaria existirá uma alma bondosa que está louca para comer a massa. O garçom segue de mesa em mesa com a esperança que essa pessoa logo chegará e seu trabalho finalmente terá algum tipo de sentido. Certamente os dois, garçom e comedor de alho e óleo, trocam um sorriso secreto, mostrando que eles fazem parte de um clube exclusivo.

Trabalhar com o macarrão alho e óleo é uma verdadeira escola da vida. Provavelmente um garçom desses tem muito o que dizer. Talvez ele aprenda que o que vale é a primeira tentativa, as outras são só vãs esperanças que fazem parte do seu ofício. Raramente alguém que disse não pro macarrão de cara vai mudar de ideia e dizer sim depois.

Quem chegou pra comer maminha nunca vai querer alho e óleo!

7 comentários:

Marcelo Urânia disse...

há uma recente mudança de postura das churrascarias: estão colocando mulheres para servir as massas!

não sei se elas assimilam melhor a negativa e por isso continuam com sorriso no rosto ou se é vingança pura e simples "ouça uns NÃO aê, vagaba!"

mcruz disse...

Uma vez estava com uns amigos na churrascaria e discutimos isso, como uma pessoa que escuta tantas negativas por dia seria depois do trabalho. Sempre achei que um dia o cara do macarrão iria surtar dentro da churrascaria.

Túlio disse...

Urânia, em qual churrascaria tem mulher rodando com a massA?

giancarlo rufatto disse...

na duvida só vou em grill no estilo do chimarrão, voce levanta e pega o que quer e não magoa ninguem.

Souza Bernal disse...

Braganzza eu não entendi nada desse texto...
mas dou meu ponto de vista sobre o garçom que segundo você só lida com 60.000 nãos por mês.
ok há muito tempo deixei de ir a rodízio, mas quando ia dizia sou vegetariana ao primeiro garçom do espeto que aparecia, ele em geral espalhava a notícia.
o colega do alho e óleo prontamente vinha até mim, criávamos uma relação, começava trazer outras massas gostosas e conseguia mesmo estando numa churrascaria la passava bárbaro!sempre deixava uma gorjeta a mais pra essa boa alma.
vez ou outra tinha que ligar com o cara da picanha que colocava o espeto no meu prato de macarrão por pura provocação ou de vou ver si você realmente é fiel as massas, meus "amigos" que tinham me levado até um rodízio amavam esse tipo de garçom e riam.
no final entendi que apesar de sempre encontrar esse querido garçom do alho e óleo, a churrascaria não é o meu lugar e ponto.
tenho mil outros bons lugares e tenho a esperança que um dia vou encontrar a minha casa de massas favorita e voltar sempre.
sou uma otimista que busca possibilidades

Túlio disse...

Bernales e suas elucubrações. Sensacional!

e sempre tem o garçom KILLER INSTINCT que só joga pedaços gigantes no seu prato.

jasper disse...

"Esse cara sim sabe muito bem o que é ouvir um não e seguir em frente" -- fantástico.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...