quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Black Swan


Assisti o tal do Cisne Negro, achei demais, mas fica por aí. Não vi aquele filme arrebatador, aquela interpretação monumental e nada de outro mundo. Minha companhia pro filme soltou adjetivos como desvirginal, visceral, gutural. Senti inveja.

Invejei ficar embasbacado, sentir algo tão de verdade. Sinto inveja daqueles que se empolgam com o novo cd sem graça dos Strokes, de novidades nada novas de cinema, música e da vida. Fico me perguntando se sou eu o insensível ou as pessoas que andam se contentando com tão pouco? Invejo-as mesmo assim.

Mas nada está perdido. O The National pode tocar no Brasil e há claras esperanças de empolgação. Seguimos buscando o que aquela música do El Cuarteto de Nos diz "Algo que parta de un tirón, mi corazón como un infarto".

6 comentários:

Tiago Dutra disse...

Fala Tuts! Achei esse filme bem meia-boca. Tem umas cenas legais, mas no fim das contas ele parece uma mistura de Clube da Luta com aquele filme da Megan Fox, o Garota Infernal. E a Natalie Portman passa o filme todo com aquela cara de baterista do IRA. O problema, A MEU VER, é que essa geração Facebook se acostumou a ser levada pela opinião geral. Isso vale para o Black Swan, pro CD novo e chatíssimo do Kings of Leon, pro Kanye West... Se todo mundo curtiu, eu sou quase obrigado a achar o máximo também. E aí um monte de coisa bem regular vira genial, motivo de empolgação. É a cultura do Trending Topic. Só porque um assunto é mais falado, eu sou obrigado também a dar uma opinião. E haja coragem e embasamento para que ela seja diferente do consenso geral. Enfim, vou parar que já tou quase me transformando numa mistura da ROSA com o JAIR. Abração cara!

Nayara Duarte disse...

Se te consola, vi o Black Swan outro dia e fiquei com a mesma sensação. Por tudo que ouvi falarem, assisti com uma expectativa enorme. Filme bonito, bem feito e... fim. Acho até que a Natalie Portman se sai melhor em outros filmes não tão hypados.

Pelo menos pra mim a sensação que causou ficou bem longe de outros candidatos ao Oscar de anos anteriores (citando dois exemplos, Sangue Negro e O Leitor me deixaram muito mais arrepiada...)

Paulo Torres disse...

Não vi o filme ainda, mas o último do Darren Aronofsky foi aquele "O Lutador", com o Mickey Rourke, muito elogiado, história de redenção e tal... e não vi ali mais que um Rocky 6 mal escrito e sem final.

Ainda asisstirei o Cisne Negro, assim mesmo. Confio em filmes com Natalie Portman e Mila Kunis.

Túlio disse...

geração TT! é isso aê!

A-nah! disse...

Como siempre, todo es cuestión de expectativas Tulín. Si hubieses ido a ver cualquier peli es probable que te la hubieses tripeado un montón... ahora si vas a ver LA MEJOR PELI EVER... not so much. Ellas actúan súper bien y la peli es dark, in a good way... capaz a las mujeres nos pega más porque creo que TODAS en algún momento quisimos ser bailarinas o ser Natalie Portman jejeje.

Qué se yo. También pensé que era el Fight Club femenino como 127 Hours pensé que era una versión nueva de El Naufrago. Me preocupa nuestro escepticismo y creo que entregarse a la simpleza de la masa tiene que ser más sano definitivamente.

¡Vamos dilo! ¡Me encantó Black Swan! Jajajaja :)

Marcelo Urânia disse...

tb curti o termo 'Geração TT' hahaha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...